Desencontros e encontros urbanos

Por Fabíola Paes de Almeida Tarapanoff


Anseio por serem entendidos em um país com uma cultura diferente. Mas eles não estão apenas "perdidos na tradução", como no título em inglês (Lost in Translation). São duas almas perdidas na cidade grande de Tóquio e que tentam encontrar os rumos de suas vidas.


O filme mostra a história de Bob Harris (Bill Murray), que faz propaganda do whisky Suntory ("Suntory Moment") e está casado há 25 anos e tenta compreender os rumos que sua vida tomou. Ele se sente deslocado na cidade e mesmo ganhando bem com o comercial, não entende bem as orientações do diretor e se sente frustrado por não estar desenvolvendo mais seu potencial artístico, como atuar em uma peça de teatro.


Já Charlotte (Scarlett Johansson) viaja a Tóquio acompanhando seu marido John (Giovanni Ribisi), que é fotógrafo. Eles são casados há dois anos e ele fica maior parte do tempo fora do hotel, deixando-a sozinha. Formada em filosofia, a jovem não consegue dormir e se sente solitária no meio da grande metrópole. Não sabe ao certo que rumo profissional deve seguir e ouve um CD: A busca da alma: como encontrar sua verdadeira vocação. Andando pela cidade e vendo uma cerimônia budista, templos da cidade, como fazer ikebanas, ela tenta descobrir do que gosta, sua paixão. No telefone, fala à mãe que não se recorda mais porque casou com seu marido, que ele parece um estranho agora. Ele nunca tem tempo para ela e parece dar mais atenção à uma atriz de Hollywood que está no mesmo hotel (Anna Faris).





Bill Murray e Scarlett Johansson em Encontros e despedidas. Fonte: Japon Cinema - https://japoncinema.com/critique-du-film-lost-in-translation/


No bar do hotel, Charlotte cruza o olhar com Bob e começa uma inusitada relação entre os dois. Ela o convida para ir a uma festa com amigos e curtem o karaokê e entre “encontros e desencontros” no hotel, seja no elevador, no hall, na piscina ou no bar, eles se aproximam em pouco tempo. Se reconhecem em seu deslocamento e trocam confidências sobre expectativas, relacionamentos, frustrações. É interessante a química entre os atores e Murray sempre diverte com suas expressões e “tiradas inteligentes”, que lhe renderam uma indicação ao Oscar de Melhor Ator e o Globo de Ouro de Melhor Ator em Filme de Comédia em 2004. Johansson também imprime sua sensibilidade e carisma à personagem.



Cartaz de Encontros e Desencontros (2003)



No seu segundo filme, Sofia Coppola surpreende pela sua direção sensível e que valoriza a interpretação dos atores e mostra as particularidades da cultura oriental aos olhos de um ocidental. O filme foi indicado a quatro Oscar (Melhor Filme, Ator, Diretor e Roteiro Original) e ganhou o Oscar de Melhor Roteiro Original. A trilha sonora é saborosa e tem músicas como Alone in Kyoto, do Air e Just Like Honey, do Jesus & the Mary Chain.


Vale destacar a cena em que Charlotte sai entediada da coletiva com a estrela de Hollywood e sai do ambiente fútil para uma sala em que mulheres de forma delicada fazem ikebana, arranjos com flores. E no final, quando Bob se despede de Charlotte e sussurra em seu ouvido. O que ele teria falado? Permanece a dúvida, mas o filme traz a certeza de que a vida é feita por desencontros e encontros, que mesmo inusitados, podem transformar uma vida.





Encontros e desencontros (Lost in Translation, EUA/Japão, 2003)

Direção: Sophia Coppola

Roteiro: Sophia Coppola

Produção: Sophia Coppola e Ross Katz

Elenco: Scarlett Johansson, Bill Murray, Giovanni Ribisi, Fumihiro Hayashi, Hiroko Kawasaki, Anna Faris, Akiko Takeshita, Ryuichiro Baba e Kanuyoshi Minamimagoe.

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo